Arabic AR Chinese (Simplified) ZH-CN English EN French FR German DE Italian IT Portuguese PT Spanish ES

“ÁGUIAS” NA MÁXIMA FORÇA NA TAÇA AFC

A presença do Benfica na fase de grupos da Taça da AFC é um marco histórico no futebol de Macau, por isso, espera-se um maior número de espectadores do que é habitual nas partidas internas, com o melhor recinto que o território dispõe a receber duas das quatro formações integradas no Grupo I.

São poucas as informações dos adversários dos “encarnados”, mas o Hang Yuen é o que oferece um pouco mais de certezas quanto ao seu real valor, ao contrário das equipas da Coreia do Norte, 4.25 SC e Hwaepul SC, das quais praticamente nada se sabe, pertencentes a um país muito fechado ao mundo exterior.

Esta série é por isso uma incógnita, no que diz respeito à qualidade dos adversários do conjunto de Bernardo Tavares, isto porque o actual campeão de Macau é “um livro aberto”, provavelmente já muito estudado pelos treinadores das restantes formações.

Pela temporada cem por cento vitoriosa das “águias” na Liga de Elite, é de esperar uma boa réplica a um Hang Yuen que surge, nesta jornada inaugural da Taça da AFC, sem ritmo competitivo, em virtude do campeonato ainda não ter começado, o que pode ser uma vantagem para o clube de matriz portuguesa.

“Eles são praticamente todos profissionais e alguns jogadores possuem experiência de futebol internacional, pelo que vai ser um jogo difícil. Para nós, que temos jogado no relvado do Estádio, isso pode vir a ser uma pequena vantagem e era bom entrarmos a ganhar nesta competição. Em termos gerais de grupo, se ganharmos podemos partir para algo melhor no futebol de Macau, se correr mal fechamos portas”, declarou o treinador Bernardo Tavares, técnico já com alguma tarimba nestas andanças das competições asiáticas, depois de ter passado por alguns países do continente, como Maldivas, Oman ou Bahrain.

Bernardo Tavares tem algumas luzes deste Hang Yuen, mas ressalva: “Um jogo apenas, que vi pela internet, é pouco para ter uma ideia clara do nosso primeiro adversário.”

O Hang Yuen terminou em terceiro no campeonato de Taiwan de 2017, após ter sido campeão na época anterior, facto que lhe valeu estar nesta Taça AFC, em virtude do ranking da ilha nacionalista, superior ao de Macau. Do plantel fazem parte alguns estrangeiros, três da Gâmbia (Mainane Ousseini, Sulayman Colley e Ebrima Nyassi), um nigeriano (Sadik Sani) e um haitiano, nascido nos EUA, Jean Marc Aledxandre, avançado já com 45 internacionalizações pelo Haiti.

O Hang Yeun fez um jogo de preparação, no passado dia 24 de Fevereiro, diante dos japoneses do Tokyo e venceu por 3-2.

“Eles apostaram, tal como nós, nesta Taça AFC e por isso não podemos estar em bicos de pés pelo facto de estarmos a liderar, só com vitórias, o campeonato de Macau. Uma coisa é a prova interna, outra é a presença em competições como esta, de outra responsabilidade”, sublinha o treinador dos “encarnados”, que já pode contar com David Tetteh.

Na semana passada, o médio/avançado, nascido no Gana, mas há alguns anos naturalizado pelo Quirguistão, ainda não tinha em Macau o seu certificado de transferência, mas essa situação está resolvida, como afirmou ao JORNAL TRIBUNA DE MACAU, Duarte Alves: “Está tudo em ordem e todos os jogadores que quisemos inscrever para a competição podem dar o seu contributo à equipa”.

Mostrar evolução do futebol de Taiwan

Do lado do Hang Yuen, o técnico Hung Ching-huai falou já, à imprensa taiwanesa, sobre a partida de quarta-feira. “Todos os jogos do nosso grupo vão ser equilibrados, difíceis para todas as quatro equipas. Vamos apresentar uma formação jovem e com velocidade, pelo que queremos desde já começar a ganhar para seguirmos em frente na Taça”, disse.

A presença do Hang Yeun na prova faz igualmente história no futebol de Taiwan, uma vez que o clube é o primeiro a jogar na Taça AFC. “Queremos que este marco resulte em participação positiva, esperando que a campanha do Hang Yuen permita mostrar ao mundo a evolução do futebol de Taiwan e consiga oferecer bons jogos aos adeptos”, referiu o técnico do Hang Yuen.

Estão assim reunidas as condições para uma boa noite de futebol no Estádio de Macau, com o Benfica a apresentar-se na máxima força, restando apenas a dúvida relativamente aos jogadores estrangeiros a utilizar de início, uma vez que só podem actuar quatro (sendo um deles asiático, que é o caso de David Tetteh).

A derradeira palavra cabe naturalmente a Bernardo Tavares, mas tudo aponta para que o trio escolhido seja Batista/Gil Nguema/Hugo Silva, ficando no banco de suplentes Tito Okello e Alison Brito. Quanto a Vitor Almeida, vai jogar como local, o que é menos uma dor de cabeça para o treinador.

O jogo está agendado para as 20 horas.

Benfica soma e segue na Liga de Elite

A sexta jornada do campeonato interno de Macau não provocou grandes surpresas, com o Benfica a comandar a prova, mantendo cinco pontos de vantagem sobre os seus mais directos perseguidores, que são agora Chao Pak Kei e Sporting.

Os “encarnados” voltaram a golear, desta feita no confronto com os Serviços de Alfândega, penúltimos da tabela, marcando sete golos (quatro ao intervalo), através de Nicholas Torrão (2), Leonel Fernandes (2), Edgar Teixeira e Vinício Morais Alves, com dois defesas adversários a colocarem a bola por duas vezes nas próprias malhas, Cheong Chan Keong e Tang Chon Wai.

O Chao Pak Kei somou igualmente três pontos, numa partida que não foi fácil, pela réplica dada pelo Monte Carlo, em especial na primeira metade, em que perdia por 2-1, depois de golos apontados, do lado do CPK, por Ho Ka Seng (aos 19 minutos) e Danilo Lins (aos 41) e do Monte Carlo através de Vernon Wong (aos 27).

Na etapa complementar os pupilos de Gilmar Tadeu exerceram maior superioridade, marcando de novo por Danilo (aos 50) e Adilson Silva (aos 73), enquanto que o adversário facturava em cima dos noventa, por Rui Zheng.

O desafio principal colocou frente-a-frente Sporting e Ka  e houve emoção até ao fim, com vitória dos “leões” por 3-2, depois de já terem vantagem (2-1) ao intervalo. O conjunto de Nuno Capela, que terminou o desafio com dez elementos (expulsão de Rui Pires, aos 89 minutos), abriu o marcador, aos 9, por Felipe Ritchie, permitindo o empate, aos 34, por William Gomes. O Sporting colocou-se de novo na frente, também por Ritchie, aos 45.

Na segunda parte, aos 54, Sangaranka Cissé fez o terceiro para os ‘verde-brancos” e o Ka I reduziu, aos 64, através de William.

Consulado e Casa de Portugal ganham no escalão secundário

As equipas de matriz portuguesa na prova da II Divisão tiveram uma jornada positiva, com a equipa do Consulado a estrear-se a vencer, goleando o Lun Lok por 4-0 (golos de Manuel Cunha, Dedé, Ruben Batista e Nuno Sampaio Nunes). Também a Casa de Portugal somou três pontos, no segundo triunfo da época, graças a um golo de Rui Cernadas ao Chuac Lun. A competição é agora liderada de forma isolada pelo Tim Iec (9 pontos), depois da vitória por 6-0 sobre o Hong Ngai e do empate (1-1) registado entre Sub-23 e Hong Lok.

Clique aqui para ler a notícia no JTM

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Scroll to Top